A carregar Eventos
  • Este evento já decorreu.
// 30 Mar  2019
Categoria de Evento:
18:30 - 19:30

EVENTO CANCELADO — nova data a anunciar em breve

 

Solistas da Metropolitana

A combinação da flauta com o piano é bastante curiosa, de tal modo são notórias as diferenças entre os dois instrumentos. Todavia, o contraste resulta aqui numa complementaridade vibrante, a qual irradia numa assombrosa variedade de estímulos criativos. A ancestralidade da flauta acomoda-se com naturalidade na sofisticação técnica do piano. Diante da imponência visual e sonora deste, a sua aparente fragilidade transfigura-se em deslumbramento lírico, seja frugal ou acerbado, na virtuosa destreza de movimentos ágeis e rebuscados, mas também em registos soturnos arrebatadores. Por seu turno, o piano resplandece num leque de possibilidades que se estende desde o intimismo difuso ao aparato sinfónico. Para percorrer os recantos deste imenso universo, os Solistas da Metropolitana interpelam três memoráveis sonatas para flauta e piano escritas no século passado. Iniciam com os três andamentos da sonata composta pelo alemão Paul Hindemith em 1936: o primeiro sereno e otimista, o segundo meditativo, o terceiro como eventual referência sarcástica às paradas das tropas nazis. Já na sonata do francês Francis Poulenc, datada de 1957, destaca-se o segundo andamento, uma melodia que convida a suspender a respiração e na qual a flauta parece transformar-se na voz de um cantor. Por fim, a sonata que Sergei Prokofiev esboçou em 1942, em plena Segunda Grande Guerra. Achava-se nessa altura na Ásia Central, a milhares de quilómetros de Moscovo, para trabalhar no filme Ivan o Terrível com Sergei Eisenstein.

F. Poulenc Sonata para Flauta e Piano, Op. 164
P. Hindemith Sonata para Flauta
S. Prokofiev Sonata para Flauta, Op. 94

Nuno Inácio (flauta), Alexei Eremine (piano)

 

Programa detalhado

Francis Poulenc (1899-1963) – Sonata para Flauta e Piano, Op. 164 (1957)
(12’)

I. Allegro malinconico
II. Cantilena: Assez lent
III. Presto giocoso

Paul Hindemith (1895-1963) – Sonata para Flauta (1936)
(13’)

I. Heiter bewegt
II. Sehr langsam
III. Sehr lebhaft – Marsch

Sergei Prokofiev (1891-1953) – Sonata para Flauta, Op. 94 (1943)
(24’)

I. Moderato
II. Scherzo: Presto
III. Andante
IV. Allegro con brio

[ler mais]